Seminário sobre 70 anos da ONU destaca combate à desigualdade na agenda pós-2015

Da equerda para a direita, Carlos Aguilar, Maria Elena Rodrigues, Sergio Veloso e Layla Saad no painel "A ONU e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável", parte do seminário "Os 70 anos das Nações Unidas". Foto: Antônio Albuquerque/Acervo do Núcleo de Memória da PUC-Rio

Da equerda para a direita, Carlos Aguilar, Maria Elena Rodrigues, Sergio Veloso, Mariella Di Ciommo e Layla Saad no painel “A ONU e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, parte do seminário “Os 70 anos das Nações Unidas”. Foto: Antônio Albuquerque/Acervo do Núcleo de Memória da PUC-Rio

Parte do evento, realizado na PUC Rio, painel “A ONU e os objetivos de desenvolvimento sustentável” contou com representante do Centro RIO+

A inclusão da redução da desigualdade dentro dos países e entre eles como um dos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) foi destacada pela diretora adjunta do Centro RIO+, Layla Saad, em um painel realizado nesta última terça-feira (5 de maio) na PUC-Rio como parte do seminário “Os 70 Anos da Organização das Nações Unidas”.

“A desigualdade foi um tema ignorado nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), mas finalmente incorporado na Agenda de Desenvolvimento Pós-2015”, comentou Saad em sua apresentação. O Grupo de Trabalho Aberto criado pela ONU formulou proposta com 17 ODS que será submetida à cúpula da ONU sobre a agenda pós-2015, que será realizada de 25 a 27 de setembro em Nova York.

Para a representante do RIO+, a nova agenda tem como desafio reverter a crescente desigualdade que se observa no mundo, sobretudo a partir da crise financeira de 2008 e 2009. A boa notícia é que, diz a diretora do RIO+, o mundo atual é mais multipolar, possuindo maior espaço para as nações emergentes tensionarem as negociações internacionais sobre temas de desenvolvimento e meio ambiente.

Com mediação de Sergio Veloso, pesquisador do IRI/PUC Rio, o painel “A ONU e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” também contou com a participação de Carlos Aguilar, coordenador dos programas global e regional da Oxfam no Brasil, Maria Elena Rodrigues, pesquisadora do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) e professora do Instituto de Relações Internacionais (IRI/PUC Rio), e Mariella Di Ciommo, analista sênior no Brasil da organização Development Initiatives, de Bristol, no Reino Unido.

Em sua apresentação, Aguilar disse que “a agenda da desigualdade é um limite reconhecido pelas agências internacinais no modelo atual de desenvolvimento.” Além de defender a instituição de um marco jurídico internacional para acelerar a adoção do desenvolvimento sustentável pelos países, o representante da Oxfam chamou a atenção do público para aspectos que considera cercados de indefinições. Mencionou, por exemplo, a necessidade de definir mecanismos de monitoramento e transparência na implementação dos ODS, que devem valer para o período 2016-2030. Há, ainda, problemas políticos na discussão sobre a forma de medição do progresso dos países na realização dos ODS, apontou Aguilar.

Um consenso entre os painelistas foi a necessidade de desenvolver indicadores de desenvolvimento mais abrangentes. “Precisamos superar os indicadores baseados exclusivamente no crescimento econômico”, pregou Maria Elena Rodrigues, do Ibase e do IRI/PUC Rio. Saad, do RIO+, vê nos ODS uma oportunidade para adotar um novo modelo de como se medem os avanços na agenda de desenvolvimento. Aguilar, a Oxfam, levantou a necessidade de superar problemas políticos que afetam a discussão sobre a forma de medir o progresso dos países na implementação dos ODS.

Outro tópico crítico no painel foi o dos meios de implementação dos ODS, que englobam financiamento, transferência de tecnologia e capacitação. Enquanto a representante do RIO+ manifestou que o cumprimento das metas dos ODS “não é só uma questão financeira, mas também de vontade política dos países, Rodrigues demonstrou desconforto nessa temática: “estamos discutindo os meios de implementar os ODS, mas precisamos sempre trazer para a discussão o compromisso firmado pelos países desenvolvidos de investir 0,7% do Produto Nacional Bruto em projetos de ajuda aos países em desenvolvimento”. Até hoje, a maioria dos países ricos não alcançou o 0,7%.

Aguilar levantou algumas questões sobre os meios como a de como e quem paga a conta da realização das metas dos ODS e a necessidade de mecanismos de monitoramento e transparência para que haja um acompanhamento confiável e eficaz do progresso dos países nessa nova agenda.

Um assunto ainda à margem da agenda pós-2015, mas com potencial promissor de ganhar crescente importância no futuro próximo, é a relação entre ajuda humanitária e desenvolvimento sustentável. A despeito de a ajuda humanitária ser geralmente considerada uma ação de emergência, tem aumentado a quantidade de projetos com atividades de desenvolvimento humano e sustentável em áreas com crises humanitárias crônicas, segundo Mariella Di Ciommo, da Development Initiatives. “Há mais recursos para ações de prevenção, embora ainda sejam iniciativas modestas”, contou Di Ciommo.

O seminário foi promovido pelo Instituto de Relações Internacionais (IRI/PUC Rio) nos dias 4 e 5 de maio,  contando com painéis sobre a atuação da ONU nos temas da segurança internacional, da saúde global, das mudanças climáticas e dos ODS. No dia 5 à tarde, o escritor norte-americano Stephen Schlesinger ministrou palestra sobre o papel dos Estados Unidos e da União Soviética na fundação das Nações Unidas, inaugurando o calendário brasileiro de atividades previstas para 2015 em comemoração aos 70 anos de existência da ONU. Veja aqui reportagem e vídeo da palestra, realizada em parceria com o Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio).

2 Comments on “Seminário sobre 70 anos da ONU destaca combate à desigualdade na agenda pós-2015

  1. Pingback: “A desigualdade foi um tema ignorado nos ODMs” | RENAS

  2. Pingback: Seminário sobre 70 anos da ONU destaca combate à desigualdade na agenda pós-2015 | Cairo + 20

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: